Acadêmicos da Odontologia utilizarão impressora 3D para confecção de biomodelos

Começaram os testes para utilização da impressora 3D na construção de guias cirúrgicos odontológicos na Universidade Católica de Pelotas (UCPel). A partir da nova tecnologia, casos clínicos atendidos por acadêmicos do curso de Odontologia poderão contar com o apoio da ferramenta para a recomposição do design do sorriso do paciente.Responsável pelas primeiras impressões, o professor do curso de Odontologia, Gregori Boeira, explica que a utilização da impressora ocorrerá assim que a primeira turma do curso avançar para os últimos semestres da graduação. “Em um primeiro momento, vamos utilizá-la para fazer enceramento. Em casos mais complexos, a impressora será usada mais adiante”, explica. Através do enceramento em software, utilizado para a realização de planejamento virtual, será possível redesenhar o sorriso do paciente digitalmente para logo em seguida realizar a impressão. De acordo com Boeira, a partir do plano de tratamento, a impressora imprime guias cirúrgicos que demonstram a posição correta dos implantes. “Através da tecnologia consigo ainda determinar outro tamanho para os dentes,visando uma nova formação para o sorriso do paciente”, complementa.A impressora 3D adquirida pela UCPel imprime através de filamentos. A prótese dentária impressa, por exemplo, poderá ser utilizada como prova para melhor adequação da prótese final. O docente ainda frisa que dentistas terão que conviver cada vez mais com a tecnologia em consultórios. “Nossos acadêmicos terão vantagem em já ter esse contato durante a formação. Normalmente, estudantes das faculdades de odontologia do Brasil não têm acesso a esse tipo de tecnologia”, comenta. Outro ponto positivo do uso da tecnologia na odontologia é a agilidade no processo, reduzindo o tempo entre enceramentos e provas. A impressora 3D pode ser utilizada para a dentística, voltada para devolver ao dente sua integridade estrutural, funcional e estética; ou no caso de cirurgias guiadas, como a cirurgia de buco-maxilo-facial. Os modelos impressos proporcionais auxiliam a simular o que será aplicado na boca.  Além disso, o uso da impressora poderá associar diversas áreas da odontologia, como dentística, prótese e implantodontia. “Poderemos oferecer aos acadêmicos uma interdisciplinaridade maior”, completa Boeira. Ainda de acordo com o docente, a tecnologia torna os processos odontológicos acessíveis devido aos baixos preços dos materiais utilizados.Redação: Rita Wicth – MTB 14101foto da notícia